Jornadas de Turismo Arqueológico, 17 e 18 de junho, ESACT/IPB, em Mirandela

  • por

No âmbito das Jornadas de Turismo Arqueológico, realizada nos dias 17 e 18 de junho de 2022, na Escola Superior de Comunicação, Administração e Turismo, estiveram reunidos vários arqueólogos cujos trabalhos e projetos de investigação abordam o tema de arqueologia. Neste espaço foi possível partilhar conhecimentos e experiências sobre como estes projetos e trabalhos têm sido um ponto importante nas regiões históricas neste contexto de território português e como são um fator de desenvolvimento das regiões através do turismo.

As Jornadas iniciaram com a comunicação do projeto “EscarpArte: Sentir as Escarpas da Serra de Passos/Santa Comba – Uma viagem de Sete Mil Anos”, projeto liderado pelo Laboratório Colaborativo Montanhas de Investigação, em parceria com a FLUP, o Grupo Dryas e o Município de Mirandela.

Este projeto, financiado pelo Programa Promove o Futuro do Interior da Fundação La Caixa com participação do BPI e da FCT, tem como objetivo disponibilizar ao público a maior concentração de pintura esquemática da Pré-história, uma herança cultural única com potencial turístico no contexto regional e nacional, através da elaboração de trabalhos arqueológicos e modelização 3D, criando percursos que captem a atenção do visitante, implementando estratégias de formação e educação dirigida aos mais novos e mais velhos, de forma a conhecer, sentir e proteger este local.

Nesta apresentação, que sinaliza um ano desde o início do projeto e cuja conclusão está prevista para abril de 2024, foi apresentada à comunidade académica e ao público geral o desenvolvimento dos trabalhos em curso, em particular dos estudos arqueológicos que recorrem a ferramentas tecnológicas mais inovadoras de modelagem e digitalização, bem como do programa de trabalhos para os próximos dois anos.

No âmbito deste projeto, o MORE CoLAB, desenvolverá, através do grupo de Património, Turismo e Bem-Estar e do grupo Tecnologias Inteligentes uma aplicação com conteúdos multimédia e de realidade aumentada, criando um formato inovador de interpretação digital deste património arqueológico.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.